COPYWRITING: como vender mais através dos gatilhos mentais!

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Você sabia que as palavras têm o poder de alavancar a sua marca? Porém, quando elas não são usadas corretamente, podem trazer sérios prejuízos para a sua empresa.

Por isso, mais do que adotar estratégias de marketing de conteúdo para o seu negócio, é necessário aplicar técnicas precisas para fazer com que o seu público execute a ação desejada. Mas como fazer isso?

Bom, uma das práticas mais indicadas é a do Copywriting, que tem como objetivo convencer uma pessoa a realizar algo por meio dos gatilhos mentais. No artigo de hoje, você vai entender um pouco mais sobre esse assunto! Vem com a gente!

O QUE É COPYWRITING?

Ao contrário do que muitos pensam, copywriting não é algo novo. De acordo com a literatura, o termo foi mencionado pela primeira vez no século XX e, ao contrário da sua tradução oficial, que remete à cópia, ele era relacionado a algo novo, original. Com o passar dos anos, ele foi apropriado por jornalistas e redatores publicitários que escreviam anúncios para os jornais. No entanto, com o desenvolvimento da internet e das tecnologias digitais, novas formas de comunicação surgiram e, consequentemente, novas formas de marketing foram criadas. O velho copy foi, então, reformulado e passou a ser utilizado com objetivos específicos.

Ao contrário da redação publicitária que tem como intuito promover a venda direta utilizando, não apenas, o texto, mas elementos visuais, a técnica de copywriting foca, exclusivamente, no conteúdo e sempre induz a uma ação. Por meio dos gatilhos mentais, ela é capaz de convencer um simples visitante de um site a realizar os comandos desejados.

Pode-se dizer que a persuasão é a principal característica do copywriting, que utiliza da psicologia para potencializar o poder de convencimento. O intuito é sempre mostrar que aquele serviço ou produto será a melhor opção para o cliente.

SOBRE OS GATILHOS MENTAIS!

De acordo com Robert Cialdini (2012), o comportamento humano é direcionado por alguns estímulos que interferem na tomada de decisão. Atitudes simples, como cortar o cabelo, caminhar ao ar livre e até ações mais complexas, como comprar um carro ou uma casa, estão relacionadas às nossas emoções.

Muitos dos gatilhos mentais que possuímos estão conectados às nossas experiências e ao ambiente em que estamos inseridos. Quando um gatilho é ativado, ele remete a pessoa a memórias e traz à tona alguns sentimentos. Assim, eles podem produzir emoções agradáveis (entusiasmo, alegria, calma etc.) e, também, desagradáveis (pânico, desânimo, pensamentos negativos etc.). Quando o primeiro lote de ingressos para um show é aberto, por exemplo, a tendência é as pessoas irem comprar, rapidamente, pois sabem que a quantidade é limitada e o medo de perder faz com que essa atitude seja executada. É algo intrínseco ao ser humano, um impulso que leva a ação.

Sendo assim, pode-se dizer que a partir dos gatilhos mentais é possível ativar comportamentos e gerar necessidades. 

Copywriting e gatilhos mentais

COMO A COPYWRITING E GATILHOS MENTAIS NO MARKETING DE CONTEÚDO?

No livro “As armas da persuasão”, Cialdini (2012) lista os principais gatilhos mentais que podem ser despertados. Neste artigo, nós vamos mostrar como você pode inseri-los na sua estratégia de copywriting!

  • Reciprocidade: o ser humano tende a responder a uma ação com outra equivalente. Sendo assim, se você oferecer algo bom para alguém, certamente, essa pessoa nunca se esquecerá e um dia irá retribuir de alguma forma. Você pode estimular esse gatilho oferecendo para o consumidor algo que agregue valor, como por exemplo, um e-book grátis, um brinde, um desconto etc.
  • Prova social: sem dúvida somos influenciados pelo comportamento dos outros. O “popular” desperta a curiosidade e transmite confiança. Tendemos a experimentar e a comprar determinados produtos ou serviços apenas porque algumas pessoas gostaram. Por isso, é importante utilizar depoimentos e cases de sucesso para divulgar a sua marca. Quanto mais pessoas estiverem falando bem de você, melhor!
  • Afeição: afinidade conta muito na decisão de compra. As pessoas se conectam com as marcas pelas quais se identificam. Por isso, contar histórias que se pareçam com o seu público-alvo faz toda a diferença. Quanto mais você mostrar experiências de vida que gerem identificação, mais pessoas você irá atrair.
  • Autoridade: o ser humano tende a obedecer àqueles que consideram superiores, ou melhor, especialistas em determinado assunto. Por isso, se você quer transmitir credibilidade com a sua marca, procure trazer boas referências e comece já a produzir conteúdos relevantes, com mais frequência.
  • Coerência: conquistar a confiança das pessoas é difícil. Por isso, antes de tomar qualquer decisão, de iniciar qualquer tipo de promoção, verifique se, realmente, tem condições de bancar o que está sendo proposto. Não prometa o que não pode cumprir. O texto publicado deve ter coerência com as práticas da empresa.
  • Escassez: ninguém gosta de perder algo. Quando esse gatilho é aguçado, você limita o tempo de tomada de decisão das pessoas e faz com que elas tomem atitudes mais rápidas. Você pode aplicar essa estratégia a partir de uma promoção inesperada ou exclusiva. Você pode falar sobre quantidade limitada de vagas, de tempo, de acesso etc.

DICAS PARA FAZER UM BOM COPYWRITING!

Como você pode perceber, criar uma estratégia de marketing utilizando as técnicas de copywriting associadas aos gatilhos mentais requer prática e conhecimento. Mas algumas ações podem ajudar nesse processo. Confira quais são elas:

– Conte histórias: as histórias aproximam as pessoas e despertam bons sentimentos.  Quando nos vemos em um personagem que compartilha medos, angústias, desafios conquistas, entre outras coisas, nos identificamos mais com uma marca. Um bom copywriting tem o poder de influenciar a percepção que as pessoas têm sobre a empresa. Por isso, invista em boas histórias e ofereça mais do que um produto ou um serviço para o seu público, entregue valor.

– Conheça o seu público: essa é a premissa de qualquer estratégia. Conhecer o público-alvo é importantíssimo. Saber o que ele precisa é essencial para estabelecer uma boa comunicação. Assim, você poderá responder as principais dúvidas e atender aos anseios dele da melhor maneira.

– Faça um bom CTA: a chamada para ação é a base de todo o copy. Ela norteia a jornada do seu cliente, mostrando quais passos ele deve seguir. Seja para preencher um formulário, mandar uma mensagem, ler outro conteúdo etc., o fato é que essa etapa deve ser pensada de forma assertiva, pois é a partir dela que você vai converter um simples visitante em cliente.

– Crie conexões: como fazer com que a pessoa que está do outro lado se conecte com a sua marca? Não é fácil, mas você pode utilizar alguns gatilhos mentais para se aproximar e despertar a curiosidade do seu público. Dessa maneira, o leitor passará a ver o seu conteúdo como uma fonte de conhecimento e como um aliado. Exemplo: Descubra como fazer um conteúdo atrativo!

– Seja claro: fuja dos clichês e vá direto ao ponto. Não adianta você ficar enrolando para falar sobre determinado tema. As pessoas que estão no ambiente on-line têm pressa, anseiam por informação rápida e querem resolver seus problemas de maneira prática. Por isso, certifique sobre o que está falando, veja se realmente é relevante para o leitor. Lembre-se que a jornada de compra passa por diversas etapas, portanto você precisa elaborar conteúdos que atendam cada uma delas, desde textos mais completos até os mais curtos e objetivos.

– Utilize dados de pesquisa: informações reais ajudam a dar mais credibilidade ao texto e faz com que o leitor se sinta mais confiante para fechar um negócio. Os dados de pesquisa são ótimos aliados do copywriting. Além de comprovar o conteúdo que está sendo divulgado, ele ajuda a reforçar a qualidade do produto.

– Abuse dos verbos de ação: sua escrita precisa ser persuasiva, mas não agressiva. Portanto, é preciso ter muito cuidado ao desenvolver um texto. A dica é utilizar sempre os verbos de ação para provocar no seu leitor a sensação de urgência.  Sendo assim, para fazer com que ele compreenda a mensagem e faça o que você deseja, dê preferência para os verbos no imperativo. Ex: Gostou deste artigo? Deixe um comentário abaixo!  Quer mais dicas sobre produção de conteúdo? Clique aqui e leia o nosso artigo sobre Inbound Marketing.

Trabalhar com marketing de conteúdo requer muito estudo e prática.  São muitos fatores que precisam ser levados em conta para ser, de fato, assertivo. Além das técnicas empregadas, é necessário ter uma atenção a mais com as emoções, afinal, marketing está diretamente ligado às pessoas. 

No artigo de hoje, falamos um pouco sobre como o copywriting e os gatilhos mentais podem ajudar a sua marca a atrair novos clientes e a vender mais. Se você ainda possui dúvidas sobre esse assunto entre em contato conosco pelo e-mail danilo@superself.com.br ou clique aqui para conversar com a gente pelo Whatsapp.

Até mais!

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Artigos Relacionados

Marketing Digital

Lançamento relâmpago

Se a sua marca tem um serviço ou produto, digital ou físico, uma boa lista de e-mail marketing e deseja aumentar as vendas em um

Leia mais >
Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.