O que é Inbound Marketing?

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Descubra como atrair, reter e fidelizar clientes no ambiente online!

Ter presença online é fundamental para qualquer empresa que deseja se destacar no mercado atualmente. Porém, antes de qualquer coisa, é preciso traçar ações adequadas para obter bons resultados. O Inbound Marketing é uma nova forma de atuação que vem sendo adotada em diversas áreas. Ele se baseia em um conjunto de estratégias que tem por objetivo conquistar potenciais clientes por meio de conteúdos atrativos e relevantes.

MAS, AFINAL, COMO ELE FUNCIONA?

Se antes as empresas iam atrás dos clientes e, muitas vezes, até interrompiam as pessoas para oferecerem uma oferta ou apresentarem um produto novo, hoje, esse tipo de abordagem não é a mais adequada. O Outbound Marketing ou Marketing tradicional já não consegue atender de forma completa as necessidades do mercado. As tecnologias digitais, bem como a internet modificaram os hábitos dos consumidores, que passaram a ter autonomia para pesquisar os serviços e os produtos desejados, comparando preços e verificando a qualidade de cada item de forma mais imediata. Se você parar para pensar, quando você deseja saber sobre determinado restaurante, por exemplo, você acaba recorrendo ao Google para saber algo a mais sobre ele, não é mesmo?  Basta jogar o nome do estabelecimento e pronto! Ao menos uma referência você vai encontrar.  Seja através de uma rede social ou de um site, o fato é que o ambiente online passou a servir de referência para todo mundo.

Ao contrário do que acontecia há décadas atrás, hoje são os clientes que vão atrás das empresas. E para ser notado em meio a tantos concorrentes, é preciso criar conteúdos relevantes que agreguem valor à sua marca. É aí que entra o Inbound Marketing. Trata-se de uma estratégia que tem como intuito estabelecer uma relação de confiança com o público-alvo em questão, fornecendo informações importantes, personalizadas e úteis.  Esse tipo de estratégia pode ser utilizada em diversos canais, tais como redes sociais, blogs, e-mails, entre outros.  Sem contar que é uma maneira de estabelecer um relacionamento mais duradouro com os seus clientes, gerando mais engajamento. Por meio dos conteúdos produzidos, você ainda pode se tornar referência na sua área de atuação e promover o seu negócio.

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS?

A metodologia pode ser empregada e adaptada em qualquer tipo de empresa. Não importa o que você vende, as pessoas querem saber qual a utilidade daquilo e como o seu negócio pode impactar a vida delas. Consumir informação se tornou um hábito e nada melhor que fazer isso através do Inbound. Confira 6 dos principais benefícios dessa estratégia:

1º –  Segmentação do público-alvo: não tem como negar que quando você desenvolve um conteúdo bacana e de qualidade na internet, a chance de ele alcançar um número maior de pessoas é enorme. No entanto, o mais importante no Inbound Marketing é, justamente, a segmentação do público que você consegue estabelecer. Ao falar de um assunto específico, você acaba criando um nicho próprio e uma conexão mais próxima com a sua área de atuação.

2º –  Maior poder de convencimento:  vamos combinar que para fechar uma venda é preciso ter o dom da oratória.  A persuasão é um dos principais elementos do processo de venda. Porém, muitas vezes, ela é utilizada de forma agressiva e maçante. No Inbound, esse percurso acontece de uma maneira mais leve. O cliente vai recebendo, exatamente, o conteúdo que ele precisa e vai passando por cada etapa de forma descontraída. 

3º – Menor custo: diminuir os gastos é sempre bom, não é mesmo? Muitas empresas acabam deixando de investir em marketing por falta de dinheiro. Mas, ao contrário do marketing tradicional, no Inbound Marketing os custos são bem menores. Você consegue desenvolver conteúdos nas mais diversas plataformas de forma gratuita e utilizando orçamentos pré-estabelecidos.

4º – Mensuração de resultados: ao contrário do que muitas pessoas pensam, é possível, sim, mensurar os resultados das suas campanhas na internet! Aliás, o sucesso de toda estratégia está intimamente relacionado aos resultados obtidos e analisados.  No Inbound Marketing você consegue acompanhar o andamento de cada ação, de cada texto, de cada material publicado e checar se ele está funcionando ou não.

5º –  Aumento de credibilidade: legitimar mensagens, talvez, seja um dos maiores desafios da era digital. Com tantas possibilidades de consumo, fazer com que a sua marca seja vista e ouvida é, realmente, desafiador. No entanto, a partir do momento que você passa a oferecer algo a mais e agregar valor ao seu produto e serviço, automaticamente, sua marca passa a ser vista com outros olhos.

6º – Vendas mais assertivas: com todas as estratégias de segmentação disponíveis, o processo de venda se torna mais rápido e preciso. Por meio dos conteúdos fornecidos através do funil de vendas, a tomada de decisão de compra acontece de forma mais ágil.

ENTENDA O PROCESSO!

É importante destacar que o que faz o Inbound Marketing ser tão útil para as empresas é a sua forma de operação que combina a estratégia de conteúdo com a automação de marketing. A metodologia é bem simples e se divide em quatro etapas. Confira quais são elas!

– Atração: um dos maiores desafios das empresas que atuam na internet é atrair leads, ou seja, visitantes qualificados para as suas plataformas e canais digitais. Portanto, a primeira fase do Inbound Marketing consiste em, justamente, buscar pessoas que, até então, nunca tinham ouvido falar da sua marca, mas que se sentiram atraídas por meio dos conteúdos disponibilizados.

– Conversão: a partir do momento que você consegue angariar um número significativo de visitantes, você tem mais chances de converter aquele público em oportunidades reais de vendas. Assim, você pode oferecer conteúdos mais densos e em troca solicitar os dados dos visitantes, tais como nome, telefone, e-mail etc. para uma futura abordagem.

– Venda: após nutrir seu lead com informações relevantes que agreguem, de fato, valor aos interesses dele, é hora do time comercial entrar em contato com aqueles que estão mais “amadurecidos” a fim de efetuar a venda. Cabe ressaltar que o time de marketing deve caminhar alinhado com o time de vendas, pois o trabalho de cada um impacta, diretamente, no do outro.

– Encantamento: mas, calma, o processo de venda não termina no fechamento e na efetivação da compra. É preciso ir além. Afinal, você vai estabelecer uma relação de confiança com seu cliente. Sendo assim, o pós-venda é fundamental. Mantenha uma boa comunicação, pergunte se ficou alguma dúvida, se mostre sempre solicito a ajudar e continue fornecendo mais conteúdos inovadores. Muitos não percebem, mas o pós-venda é o início de uma nova jornada, são novas oportunidades.  É o momento de fazer com que esses clientes se tornem, de fato, promotores da sua marca

FUNIL DE VENDAS E INBOUND MARKETING: QUAL A RELAÇÃO?

Entender a jornada do seu cliente é essencial, pois é a partir dela que você irá traçar as estratégias de marketing da sua empresa. Sendo assim, saber como funciona o funil de vendas é imprescindível. Trata-se de um conceito que tem como objetivo ilustrar como ocorre a jornada de compras do cliente desde o seu primeiro contato com a empresa até o fechamento do negócio. Cada etapa do funil representa um estágio de consciência do cliente em questão. Veja a seguir como funciona!

1º – Topo do Funil – aprendizagem e descoberta: muitas vezes as pessoas estão navegando pela internet e não sabem ao certo o que procuram. Mas, acabam  digitando sobre determinado assunto por curiosidade e descobrindo algo mais interessante do que imaginavam. É o momento de aprender e descobrir coisas novas. Nessa etapa, geralmente, você está lidando com visitantes no seu site, ou seja, com pessoas que, até então, não sabiam nada sobre você. Sendo assim, é importante educá-los e fornecer conteúdos fáceis de serem compreendidos e compartilhados. Não é o momento de mencionar, ainda, sobre os seus serviços e seus produtos, mas, sim, sobre temas relacionados ao seu universo de atuação.

2º – Meio do Funil – consideração e intenção: essa segunda etapa já é mais avançada. O visitante passou a frequentar suas plataformas com mais frequência. Já reconheceu que possui um problema ou uma necessidade e está buscando soluções. É a hora de estreitar os laços com seu potencial cliente. A dica é fornecer conteúdos mais densos e específicos em troca de informações pessoais, como nome, telefone e e-mail.  Essas informações serão importantes para qualificar os leads e fundamentais no processo de venda.

3º – Fundo do Funil – avaliação e decisão:  nessa fase você, certamente, já estabeleceu um bom relacionamento com seu cliente. No entanto, é preciso ser assertivo, pois é o momento chave da venda. Afinal, você precisa convencê-lo que a sua empresa, que a sua marca é a melhor opção. Para isso, é importante oferecer conteúdos que demonstrem coisas mais palpáveis e quantitativas. Pesquisas de mercado, cases de sucesso, demonstração gratuita de produtos, são algumas das ações que você pode elaborar para persuadir de vez o seu cliente.

INBOUND MARKETING NA PRÁTICA – DICAS DE CONTEÚDOS!

Agora que você já sabe como funciona o Inbound Marketing, é hora de descobrir como utilizá-lo na prática. Confira algumas dicas de ações para aplicar em cada etapa da metodologia!

1º – Atração – para atrair futuros clientes, nada melhor do que criar conteúdos interessantes! E você pode fazer isso pelos seguintes canais de comunicação:

  • Blog: é uma das principais plataformas de criação de conteúdo. Por meio dele é possível criar textos mais densos direcionados para o seu cliente e trabalhar de forma mais descontraída. Há diversas plataformas e ferramentas para você construir um blog, uma delas é o WordPress. Além de ser gratuita, possui diversos temas criativos e uma boa estrutura para você desenvolver um blog profissional.
  •  Redes Sociais: segundo uma pesquisa de dados realizada pelas empresas norte-americanas, Hootsuite e We Are Social,  mais da metade da população mundial está conectada a algum tipo de rede social. Sendo que a grande maioria acessa esses canais utilizando dispositivos móveis, como smartphones e tablets. Os jovens, entre 16 e 34 anos, correspondem a maior parte desses usuários. Como é possível perceber, estar presente nesses locais é imprescindível nos dias de hoje.  As redes sociais, além de serem espaços de relacionamento entre pessoas e empresas, ajudam a propagar, ainda mais os conteúdos produzidos, uma vez que permitem o compartilhamento dos materiais produzidos de uma forma mais intensa.  O Facebook, o Instagram, o Youtube e o Linkedin são umas das mais utilizadas.
  •  Site: é por meio do site que você vai vender seus produtos e serviços. Ele funciona como um cartão de visitas para que as pessoas conheçam mais sobre sua empresa. Nesse tipo de espaço, você pode colocar sua localização, suas premissas e valores, seus contatos e, ainda, falar sobre a história da sua empresa.
  •  SEO: milhares de pessoas utilizam o Google para tirar dúvidas e fazer pesquisas. Por isso, você também pode utilizar a otimização dos motores de busca para que seus conteúdos sejam encontrados de forma mais rápida.  A sugestão é utilizar ferramentas do próprio Google, como o Google AdWords, para encontrar os termos, ou seja, as palavras-chave mais procuradas na internet e associá-las a sua marca.

2º – Conversão – nessa etapa você começa a converter seus visitantes em clientes em potencial, sendo necessário assumir um poder de convencimento maior. Para isso, você pode utilizar as seguintes estratégias:

  • E-books e infográficos: desenvolver conteúdos mais elaborados e densos e oferecê-los de forma gratuita é uma ótima estratégia para converter seus visitantes em clientes.  Por isso, é importante você se planejar com antecedência para a criar esses materiais com cautela.  
  •  Landing pages: é uma página de conversão criada para fazer com que os visitantes aceitem uma oferta gratuita em troca de informações pessoais. Você pode fazer um e-book ou infográfico, por exemplo, e em troca solicitar alguns dados do seu público. Mas, lembre-se que ao fazer um formulário ele deve conter o mínimo de informações possíveis. Afinal, cadastros longos acabam desanimando e gerando desconfiança do público.
  • Call to action (CTA): é um convite, uma chamada para que o visitante execute a ação desejada e aceite a oferta da landing page, por exemplo. É importante ressaltar que o call to action é um tipo de estratégia que deve ser adotada em todos os conteúdos disponibilizados. Convidar seu público para tomar uma decisão, seja para baixar algum material, para deixar um comentário em uma publicação, para compartilhar seus conteúdos, é essencial para o sucesso da sua estratégia.


3º – Venda – na fase de reter e efetuar a venda, você precisa criar conteúdos ainda mais personalizados. A ideia é aguçar a curiosidade do público para que ele consuma, de fato, o seu conteúdo. Aí vão algumas opções para você utilizar nessa etapa:

  • E-mail marketing: o e-mail marketing pode ser uma ótima opção para manter um contato mais direto com o seu cliente. Você pode utilizá-lo de duas formas:
  1. E-mails promocionais: é uma maneira de alertar seus leads sobre uma determinada promoção. Você pode oferecer descontos exclusivos, informar sobre algum lançamento ou ainda fornecer um bônus.
  2. Newsletters: trata-se de uma espécie de informativo, um periódico, contendo diversos conteúdos, tais como artigos, curiosidades etc. a fim de educar e entreter o leitor.  O objetivo é criar uma necessidade de compra por meio dos materiais disponibilizados.
  •  Nutrição de leads:  é importante destacar que o objetivo dos e-mails é ajudar o cliente a cumprir toda a jornada de compra. Sendo assim, manter uma sequência de envios é fundamental para tornar a venda mais assertiva.
  • CRM (Customer Relationship Management): também chamado de “Gestão de Relacionamento com o Cliente”, trata-se de uma ferramenta que tem por objetivo gerenciar as informações do cliente e associá-las a todos os processos de venda! Com ela você consegue ter todas as informações detalhadas sobre o seu lead de forma acessível, tais como histórico e preferência de compra.

4º – Encantamento – após executar sua venda, você precisa fidelizar e reter esses clientes. Para isso aposte nas seguintes ações:

  • Relacionamento ativo:  mantenha uma comunicação ativa. Não deixe de enviar conteúdos com regularidade após a venda.  Continue alimentando seu cliente!
  •  Ofereça algo personalizado: mostre o quanto o seu cliente é especial. Invista em brindes, por exemplo. Mantenha o encantamento pela sua empresa.

Como é possível notar, o Inbound Marketing é uma estratégia metodológica que possui etapas a serem seguidas. Porém, o mais interessante nesse tipo de marketing é que você pode adaptar cada tipo de ação às necessidades da sua empresa e do seu segmento.

Agora que você já sabe como ele funciona, está esperando o quê para colocá-lo em prática?!  Ainda possui dúvidas sobre essa estratégia? Entre em contato com a gente ou deixe o seu comentário! Não se esqueça de compartilhar nosso conteúdo com seus amigos! 

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Artigos Relacionados

Marketing Digital

Lançamento relâmpago

Se a sua marca tem um serviço ou produto, digital ou físico, uma boa lista de e-mail marketing e deseja aumentar as vendas em um

Leia mais >
Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação.